O Core Training, a “segunda” fase do treinamento irá variar um pouco de acordo com a especialidade que você seguirá, se ela é uma Coupled ou Uncoupled Specialty. No caso das Uncoupled Specialties, você precisa realizar primeiramente o Core-Training para depois prosseguir para o nível de especialista, iniciando no ST3 (já que o CT1 e CT2 correspondem ao ST1 e ST2). No caso das Coupled Specialties o progama é Run Through, o que significa que você inicia diretamente no primeiro ano da especialidade o ST1 após o FY2 (o primeiro emprego da maior parte dos brasileiros no UK). Maior detalhe e a relação destas especialidades aqui. 

OBS:Naturalmente, esta página irá tratar do Core Training que deve ser realizado como pré-requisito para as Uncoupled Specialties.

Após o primeiro emprego que você realizar no UK, que eu recomendo que seja um FY2 LAS, você poderá após um mínimo de 3 meses (na prática aprox. 6 meses) solicitar que o seu Consultant assine um documento chamado de Foundation Competencies Form. Este documento basicamente mostra que você está apto para prosseguir na carreira pois já domina alguns requisitos e técnica de alguns procedimentos, e o seu Consultant atesta isso com base na observação de suas atividades na enfermaria ao longo do tempo.

Os requisitos presentes neste formulário variam entre capacidade de tomar decisões, responsabilidade com compromissos, como você trata os seus pacientes e sua capacidade técnica. Este documento está disponível aqui para quem tiver interesse. Com relação a procedimentos, o que se espera de um médico deste nível são os seguintes:

Provando a capacidade na realização destes procedimentos e competências, você poderá entrar no Core Medical Training de fato. Tratando-se de IMGs, você sem a cidadania britânica (conseguida via casamento com um(a) britanico(a) ou europeia (situação que deverá mudar nos próximos 5 anos com o Brexit) deverá aplicar para estas vagas somente no Round 2, competindo pelas vagas restantes após a aplicação no Round 1. Apesar desta limitação, diversas vagas sobram para este nível, que é considerando como um Training Job (LAT).

Os dois progamas mais famosos são o Core Medical Training (um equivalente à Clínica Médica) e o Core Surgical Training. Algumas especialidades como Psiquiatria possuem um Core Training especifico da especialidade, portanto na aplicação para estas vagas você deverá escolher o emprego de acordo com as suas intenções para prosseguimento da carreira no futuro.

Durante o Core Training, você deve realizar um teste chamado MRCP, o primeiro teste que você fará após o PLAB2. Esta prova, realizada tanto por médicos locais como estrangeiros, consiste em 3 fases: a parte 1 e parte 2 escrita, e a parte 2 prática (chamada de PACES). Basicamente, você deve realizar estas provas e ter em mãos o full MRCP diploma até o fim do Core Training para poder prosseguir para a ST3.

Vídeo da prova prática do MRCP, o PACES

Assim como no Foundation Programme, ao final do Core Medical training existe uma série de competências que você deve cumprir para prosseguir para o Specialty Trainig. Estas informações estão disponíveis aqui em um documento semelhante ao apresentado acima. Com relação aos procedimentos essenciais e desejáveis (“extras”):

Observe que no UK, devido ao seu treinamento rigidamete regulado e controlado, alguns procedimentos que são esperados para um médico somente ao final do Core Training (isto é ao final do 4º ano após o término da graduação) são procedimentos feitos por muitos durante a faculdade de medicina, realizados extensivamente no período de recém formado a depender de onde você trabalhar. Se você já trabalhou em UTI terá realizado centenas de acessos venosos centrais, além de intubações orotraqueais (que corresponde a um procedimento para o anestesista no UK. Veja que na lista acima não consta intubação orotraqueal). Por esta razão, considero que neste quesito podemos ter uma transição tranquila. Caso você não tenha realizado muitos procedimentos na faculdade ou como médico formado, terá a oportunidade de prosseguir mais lentamente nos primeiros anos trabalhando no UK.

Com relação ao dia-a-dia de um médico no CT1 e CT2, peço desculpas por não pode adicionar muita informação. Ao momento da criação desta página ainda não estou perto da realização destas atividades, e portanto não poderia dar uma opnião mais adequada sobre o assunto. Infelizmente, até o momento são poucos os brasileiros que avançaram significativamente para dar experiências sobre o seu trabalho. Para isso, oriento recorrer a estes posts do Omar Guidelines: POST 1 POST 2.

Concluindo, também durante este periodo você deve tentar ir progressivamente melhorando o seu curriculo com: audits, teaching sessions, cursos (ALS, ATLS, etc), participação em congressos, etc. Você precisará destes atributos para realizar a aplicação para o Specialty Training de forma competitiva que permita você entrar na especialidade que escolheu. Algumas dessas (Gastro, Cardiologia) são bastante concorridas, e se você aplicar no Round 1 para o ST3 (com visto de noivo, passaporte europeu, ou tendo feito um CMT LAT/Training Job) será muito mais fácil do que aplicando em um training job.

OBS: Recomendo fortemente a leitura do post do Omar Guidelines sobre esta questão.

Leia mais em:

http://omarsguidelines.blogspot.com/2017/12/frequently-asked-questions-about-core.html

http://omarsguidelines.blogspot.com/2017/05/my-experience-of-applying-for-ct1.html

http://omarsguidelines.blogspot.com/2017/02/cmt-application-process-for-imgs.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.