Vou iniciar uma “série” de postagens sobre mitos e verdades que possam aparecer durante todo esse processo de revalidação. Eu tentei achar outro título menos “cheesy” pra essa série mas não achei outra forma de expressar melhor essas postagens. Então vamos lá.

Image result for peaky blinders lying gif
Se você ainda não assistiu Peaky Blinders me questiono se você merece a revalidação britânica

A carga horária no UK é baixa – MITO (com um pouco de verdade..)

A carga horária de trabalho é uma das coisas que mais interessa os médicos hoje, cada vez mais conscientes da importância em ter uma rotina de trabalho equilibrada com a vida pessoal. Afinal, nossos empregos devem ser uma via para qual nós cumpriremos nossos objetivos e satisfações pessoais e por vezes isso não é possível se este toma a maior parte da sua vida. A questão da carga horária de trabalho no UK, e se esta é baixa ou não, é um dos grandes “atrativos” para se trabalhar no NHS e tento trazer algumas das reflexões sobre o assunto. Essa é uma das coisas que eu acho importante desmistificar, principalmente para não criar expectativas falsas que possam vir a ser motivos de frustração ao chegar no UK de fato para trabalhar.

Muitos de nós procuramos ao emigrar uma carga horária mais racional. Todos nós sabemos que algumas residências no Brasil possuem horas absurdas com 90-100 horas por semana, misturando plantões noturnos com enfermaria pela manhã, tudo por conta da residência. Não há dúvidas de que isso seja algo improdutivo, um estudo publicado na Nature demonstra que privação de sono cause um detrimento à atenção de médicos na mesma magnitude de uma ingestão alcóolica pequena. Portanto buscar uma carga de trabalho “normal” é algo que beneficia tanto médicos quanto seus pacientes. 

Infelizmente no Brasil a cultura da prática médica vai na contra-mão dessas evidências. Evidências essas não somente cientificas mas também empíricas, existem inúmeros casos de médicos envolvidos em acidentes de trânsito após longas jornadas de trabalho, e é possível que você tenha perdido algum colega de faculdade em situação semelhante. A razão pela qual isto se tornou a norma no Brasil, inclusive tornando-se critério para separar aqueles médicos/residentes mais competentes dos mais “preguiçosos”, é complexa e considera um processo cultural antigo. Interessante que isso não se restringe somente ao Brasil. Muitos países na América do Sul como a Colômbia possuem cargas horárias semelhantes, e até nos Estados Unidos os regimes de residência chegam a ser mais puxados que o Brasil com relação à carga horária. 

Curiosidade: o inventor do programa americano da residência no John Hopkins, William Halsted, era conhecido por conseguir ficar dias acordado e muito dos seus alunos tentavam acompanhar os seus feitos para demonstrar competência. Halsted posteriormente demonstrou-se viciado em cocaína, na época um anestésico utilizado na prática médica e não como droga recreativa. É provável que, o criador da residência médica, e os seus próximos não tenham associado a sua prática “sobre-humana” ao uso da droga. Se você tem interesse em leitura adicional sobre esse assunto recomendo o livro “Why we Sleep” de Matthew Walker. Se você tiver preguiça, aqui tem um vídeo dele falando sobre o assunto.

Image result for halsted cocaine sleep
William Halsted

Sobre a carga horária no UK acredito que duas coisas podem ser ditas, a primeira é que sem dúvida alguma nos hospitais britânicos a prática de cargas horárias absurdos não só é desincentivada como é ilegal. Trabalhar mais que 12 horas é ilegal, trabalhar após um plantão noturno sem que você descanse, além de ultrapassar a carga horária máxima média de 40 horas por semana também não está mais de acordo com as novas diretrizes que regulam que você trabalhe um período máximo de 48 horas por semana em média a cada 17 semanas (https://www.rcn.org.uk/get-help/rcn-advice/working-time-rest-breaks-on-call-and-night-work). Isso é algo que, talvez para surpresa de nós brasileiros acostumados a um sistema onde a regulamentação das cargas horárias e práticas de cada médico, é bastante coordenado e passível de punição (vide https://www.mirror.co.uk/news/uk-news/nhs-doc-suspended-after-risking-17482577). 

A questão é que muitas vezes estas 48 horas semanais não são distribuídas igualmente. É possível sim, que em uma semana você tenha 60h acumuladas, para que na semana seguinte sejam compensados com 30 horas. Existem algumas rotas (escalas) em que você irá realizar uma vez por mês 4 plantões noturnos em dias seguidos em um horário como 21:00-08:00, e na semana seguinte não trabalhará para compensar. As horas são portanto regulamentadas, mas não significa que será sempre tranquilo. 

Outra coisa a se levar em consideração é que por mais que as horas sejam respeitadas sempre, o que se espera do médico nesses períodos é atenção durante todo o tempo. No Reino Unido durante o plantão noturno você não irá dividir horário com outro colega. Um júnior Doctor me oncalls de enfermaria pode ficar sozinho responsável por centenas de leitos, conjuntamente com outro registrar e um consulta de sobreaviso. Isso não é uma carga de trabalho impossível, mas requer atenção durante um período noturno completo. Alguns médicos dizem que não conseguem nem cumprir o horário de descanso que temos direito a cada 4 horas de trabalho, o que irá depender do plantão e das tarefas.

Muitos dos médicos brasileiros também tentam através de uma carga horária maior acumular maior número de plantões na semana, e por isso a responsabilidade de uma carga horária excessiva é total do médico. Eu posso falar sobre isso por experiência própria, afinal passei um período dando plantões que foram necessários para financiar a minha vinda ao UK. De certa forma então, o controle da carga horária é uma das causas pra o limite da capacidade do médico de ganhar dinheiro no UK.

Concluindo, a carga horária no UK não é tão baixa assim, com certeza será suficiente para lhe deixar cansado. De certa forma, o estresse inicial para adaptação ainda causará um estresse maior ainda. No entanto, não posso deixar de pontuar que de fato no UK a jornada de trabalho é mais racional. Deixei para finalizar essa postagem ao final da minha primeira experiência de trabalho no UK. Em atividades habituais de enfermaria de fato as atividades começam as 09:00am, de forma que eu cheguei 8:45 em 3 ocasiões e fui o primeiro médico a chegar em todas essas. Da mesma forma realmente as atividades habituais terminam as 17:00, e eu sai as 17:30 algumas vezes sendo o úlltimo médico a sair da enfermaria. Posso dizer hoje com tranquilidade que durmo muito mais que quando estava em esquema de plantão no Brasil, tendo que acordar para chegar no hospital as 07:00am.

Lembre-se de se inscrever para receber as novas postagens por e-mail!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.